Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Energias Alternativas

Blog sobre energias renováveis, biomassa, eolica, hidrica, solar. Noticias sobre novas energias. Beneficios da utilização de energias alternativas.

Energias Alternativas

Blog sobre energias renováveis, biomassa, eolica, hidrica, solar. Noticias sobre novas energias. Beneficios da utilização de energias alternativas.

Quercus aplaude desburocratização para micro-produção

Segundo um diploma hoje (02/NOV/2007 ) publicado, quem produz em casa mais energia renovável do que consome poderá vender o excedente à rede pública a partir de Fevereiro, por mais 52 cêntimos do que o consumidor paga à EDP.

A medida vem ao encontro das reivindicações dos ambientalistas, que consideravam o anterior processo excessivamente burocrático, mas que poderá ser difícil de concretizar, já que para um consumidor doméstico instalar painéis fotovoltaicos com a potência máxima permitida para venda (3,68 kW) terá de pagar cerca de 30 mil euros.

«Considerando que cada kW será vendido a 65 cêntimos, preço garantido nos primeiros cinco anos mas depois com tendência decrescente, o período de amortização rondará os 10 dez anos», esclarece a Quercus num comunicado.

A Quercus lamentou ainda que a proposta não favoreça pequenos condomínios ou grupos de escritórios onde, por razão de custos, a contratualização com a rede eléctrica é feita apenas através de um contador geral.

No caso de optarem pela microgeração, cada escritório ou condomínio teria de instalar um contador e adquirir a electricidade a um preço mais elevado.

A associação ambientalista alerta também para o facto do tarifário beneficiar a energia solar em detrimento de outras, como a eólica, hídrica ou cogeração a biomassa, apesar de esta ser actualmente a mais dispendiosa em termos de aquisição.

O diploma hoje publicado simplifica o regime de licenciamento, substituindo-o por um regime de simples registo, sendo o certificado de exploração emitido pela Direcção-geral de Energia e Geologia - que vai criar e gerir o SRM - depois de efectuada uma inspecção.

Para injectar energia na rede, o produtor tem de realizar um contrato de compra de electricidade em baixa tensão e registar o acesso a esta actividade de microprodução no Sistema de Registo da Microprodução (SRM), uma plataforma electrónica de interacção com os produtores que regista todo o seu relacionamento com a Administração.

O diploma entra em vigor dentro de 90 dias.

 

Fonte: sol.sapo.pt/